Serenidade

Sensibilidade...

11 janeiro 2012

Vida

(Foto de Serenidade)






O tempo passa tão rápido
ou será ilusão minha, a sua existência?!
Pretenderei desculpa-me?!
Pretenderei dizer o que não te disse,
desculpando-me, primeiramente, por o não ter dito?!
Mas que culpa tenho se o tempo,
ou a ilusão da sua passagem,
não espere por mim!
Não me permita passar pela vida,
em passos saboreados, bem delineados,
observando a delicadeza de cada passada,
mas a impelindo-me numa correria agitada?!
Parei o tempo,
fiz dele meu escravo,
obriguei-o a fazer uma pausa,
só para dizer que… és a minha Vida!



"É desnecessário conversar sobre o amor, porque o amor tem a sua própria voz e fala por si só."


in Na margem do Rio Piedra eu sentei e chorei.






3 Comments:

At 16/1/12 10:46, Blogger @zulebranco said...

Bom dia, e um bom ano,
Por vezes aqui venho e verifico que continuas sempre com letras deliciosas com perfume tratadas mas muito pessoais daí o meu não comentário ao que dizes e sobreutudo ao que sentes sou dos que penso (por ventura mal) que o sentimento é acto individual ou a dois qundo se trata de afectos, mas cada pessoa é um mundo com ideias diferentes daí a beleza da diversidade,
Jinho garnde e sorriso aberto como sempre

 
At 17/1/12 20:39, Blogger IsaMar said...

O Amor não pára no tempo...Cultiva-se, cuida-se...Pois só assim cativamos alguem ou algo...Damos vida à vida, e assim é mais sentida||
beijinho grande

IsaMar

 
At 19/1/12 16:27, Blogger Isabel José António said...

Querida Mana,

Lindo poema cheio de ritmo e leves subtilezas, muito bem enquadrados.

Lindíssimo

Beijinhos e se quiseres podes visitar-nos no POESIA VIVA e no O CAMINHO DO CORAÇÃO pois tem coisas novas.

Beijinhos

José António

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats