Serenidade

Sensibilidade...

06 fevereiro 2011

Beijo


(Foto de Serenidade)


Abraço o teu beijo com a ternura de uma flor,
sugo o néctar dos teus lábios,
alimento o meu coração com o teu olhar
componho esta cena para que perdure anos!

O seu sabor, devidamente apimentado,
degustado por uma alma sequiosa,
é manjar de deuses requintados
experimentado de feição primorosa.

Quantas vezes foram fugidios,
e na pressa não deixei de os saborear,
quantas vezes serenos e prolongados
belos instantes a, na memória, ficar.

Perdi a noção do tempo,
perdi a ilusão do sabor,
ganhei consciência de ti,
do teu autêntico calor.


"Com um olho fixo no destino, sobra-te apenas um olho para te guiar ao longo da viagem."
in "O monge que vendeu o seu ferrari"

1 Comments:

At 6/2/11 01:10, Blogger IsaMar said...

Oi Carla.
Um poema simples e sereno, entre esta música terna " o teu abraço".
Um abraço tem por vezes mais força que um beijo. Sinal de maturidade, de autencidade, de afago, de cumplicidade
De olhos bem abertos, temos de seguir a nossa caminhada e orientarmo-nos pelos sinais, as entrelinhas de cada momento, palavras...
Espero que estejas bem, onde a serenidade esteja presente no teu coração.
Desculpa a ausência...mas não tenho tido muito tempo.
Saudades e um grande abraço deste lado do Oceano.

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats