Serenidade

Sensibilidade...

19 novembro 2008

Desnudo a exaustão

(Foto de Serenidade)


A nudez de um trabalho árduo
enlaça-me, aperta-me,
envolve-me num manto de exaustão,
impregnado com a doçura de sorrisos
em rostos puros, por vezes, mal amados,
na doçura de olhares carinhosos,
nas palavras alvoroçadas de inscrição afectuosa.
Bate o lado esquerdo, receio,
da pureza volver escuridão,
a luminosidade se impregnar de amargura,
a pequena chama não ser alimentada com ternura.
Desnudo-me da exaustão que me enlaça,
Peço-lhe tranquilidade,
o envolvimento no manto de sonhos,
onde tudo é possível,
não há exaustão,
e sempre vemos a solução!
…pena não nos recordarmos!


Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores”
(Cora Coralina)

4 Comments:

At 19/11/08 23:39, Blogger FERNANDA & POEMAS said...

Querida Amiga, lindo poema poético...Adorei...Beijinhos de carinho,
Fernandinha

 
At 20/11/08 20:24, Blogger gaivota said...

lindo o teu poema, e esse pombo a bebericar a água na fonte...
gosto de pombos, pena que estejam a exterminá-los
beijinhos

 
At 20/11/08 20:50, Blogger IsaMar said...

É verdade, tudo tem solução. Muitas vezes não a vemos quando queremos e ás vezes é ardua a caminhada, a luta. Muitas vezes doi...Muitas vezes estamos quase a chegar lá...e temos que por vezes recomeçar. Entre recuos e avanços fazemos o nosso Fado.
Mas quando conseguimos alcançar o que tanto queremos, damos Valor!.

beijinhos madeirenses

 
At 21/11/08 19:52, Blogger Twlwyth said...

Que um doce manto de pureza te envolva de força.

Beijo

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats