Serenidade

Sensibilidade...

14 abril 2006

Pessoas que se cruzam!

Há pessoas que surgem na vida de outras sem pedir licença e saem fazendo a mesma coisa.
A partir do momento da entrada até á saída, são-lhes concedidas oportunidades de ter momentos de amor, paz, alegria, bem-estar, diversão, tristeza, angustia, ansiedade… por vezes proporcionam-se momentos únicos que não voltarão a existir exactamente como se passaram, uma vez que nenhum momento mesmo que envolvam os mesmos personagens são iguais. Outros momentos, porém, não havia necessidade de terem existido/acontecido, ou …………se calhar…….. até deveriam uma vez que todos eles são momentos de aprendizagem, desde que reflictamos sobre eles e retiremos os ensinamentos/aprendizagens necessários e fundamentais, visto que as pessoas não surgem na vida uma das outras por um acaso, existe sempre um propósito, quer tenham sido vivências boas quer menos boas.
Há situações em que pessoas se cruzam diariamente, trocam experiências de vida, respeitam-se, ajudam-se, trabalham juntas no processo de construção das suas vidas...
Há aquelas que convivem por espaços de tempo mais ou menos curtos, e nunca mais se voltam a ver e contactar, ou então que comunicam esporadicamente uma vez que as vidas tomaram rumos difíceis de se cruzar novamente…
Há aquelas que surgem na vida de outras sem prévio aviso, saem da mesma forma, mas teimam a fazer-se presentes, não fisicamente, mas ………………presentes. Nesta situação certamente que as pessoas envolvidas continuam ligadas, por algum motivo. Ou porque o sentimento de amizade e respeito é grande e não se encontram fisicamente, nem comunicam, porque ……….. não sei, ou talvez saiba! Quem sabe se não será pela dita “falta de tempo” da sociedade actual, que não é mais do que uma fuga a si próprios, uma fuga à responsabilidade de tomarem conta das suas vidas, de a construírem, de não serem passivos e de tomarem as rédeas!! Porque afinal de contas sempre é mais fácil deixar-se no seu canto, sem grandes aventuras, sem enfrentar o desconhecido, mesmo que seja a lamentar-se pelo que não se tem, não se fez….ridículo, não??? Ou então, continuam ligadas porque ainda não se consciencializaram, não reflectiram ou ainda não assimilaram convenientemente a aprendizagem que deveriam retirar dessa relação (qualquer convívio entre pessoas é uma relação, certo?!).
E quando as pessoas entram na vida de outras sem avisar saem da mesma forma e de repente voltam a querer entrar? Será que já não tiveram oportunidade de trocar experiências suficientes? Qual delas não tomou consciência da aprendizagem que a vida queria proporcionar? Ou será que é uma “rasteira”, um teste, da vida para verificar se aprenderam convenientemente a “lição” e voltam ou não a repetir os “erros” (que são muito relativos, uma vez que um erro só existirá dependendo da pessoa que o interprete)?
Tantas perguntas, tantas incertezas, que só existem porque não se acredita no maravilhoso processo que é a vida. Processo este que depende, única e exclusivamente, de cada um de nós. Acho que me vou repetir, mas…. Nós somos os arquitectos, os engenheiros e os operários da nossa vida. São todos os pensamentos que temos, mas mesmo todos, os bons e os maus, que vão construir o nosso futuro. Todos os pensamentos atrairão as vivências futuras. Claro que é melhor responsabilizar tudo e todos por aquilo que acontece e que não é agradável, mas o que é verdade é que a vida que se tem neste momento é o resultado de pensamentos que teve à uma hora, ontem, à uma semana ou durante anos! Agora pense nos pensamentos que é habitual ter sobre si próprio, gosta deles? É assim que pensa da pessoa que diz mais amar neste mundo? Não? Então porque pensa assim de si mesmo? Mudar os pensamentos é fulcral para que a vida se torne menos pesarosa, mais agradável. Ame-se. E todas as pessoas que entram nas vidas de outras não se magoarão, não se afastarão para sempre, e aprenderão tudo o que é propositado aprenderem.

3 Comments:

At 26/5/06 22:08, Blogger maktub said...

olha é a primeira vez que escrevo no teu blog..ta muito engraçado ...
penso qeu nada é por acaso tudo acontece na nossa vida para nos ensinar alguma coisa quer achemos que é bom ou mau .. o importante é tentarmos perceber o que a vida nos quer ensinar ...
continua ..gostei do teu blog

 
At 17/8/06 12:48, Anonymous Anónimo said...

olá carlinha ,só agora tive tempo para dar uma espreitadela no teu blog,estou a gostar imenso .È algo de inspirador,forte e com uma intensidade tão grande que tu própria ,não deves ter noção do que isso produz nos que o lêem .Serve de base para pararmos e refletir-mos no que andamos por vezes a fazer da nossa vida.Descobri através dele que a vida é sempre uma caixinha cheia de surpresas e que se for bem gerida tudo se pode tornar na verdadeira felicidade se é que ela existe....

um beijinho grande olinda s.joão

 
At 17/2/09 23:28, Anonymous Anónimo said...

Olá
Venho dar-lhe aqui os meus parabéns pela excelente forma como escreve. A sua escrita é um fluir de sensibilidade, autenticidade, paixão pela vida e reflexão...Não imagino se é fácil ou difícil para si escrever, mas para mim, simples leitora, os seus textos parecem um sorriso de bebé...saem espontaneamente e com uma simplicidade genuina e atenta ao que é realmente importante! Está a ser muito agradável descobrir o seu mundo! Continue.
Beijos Rita

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Free counter and web stats