Serenidade

Sensibilidade...

06 julho 2011

Poesia



(Foto de Serenidade)






Porque será que procuro escrever poesia,
nos dias que, de mim, estou faminta?
Unir palavras com ou sem sentido,
aconchegar-me nelas como no meu ninho!
Será a vida, poesia?
Ora sarcástica ora de tristeza imbuída?
Onde se reflecte a alegria do dia,
ou as dores mais profundas da vida!
Não ouso escrever poesia,
talvez o sentir assim o obriga!
Escrevo o que o coração me dita,
o que a alma exala de bonito!
Tão contraditória e verdadeira,
não é como a Lua, feiticeira!
É como as lágrimas que saltitam no meu rosto,
o sorriso que se liberta no, seguro, porto.





"...o rio é igual em toda a parte... e, para ele apenas existe PRESENTE, nem as sombras do passado, nem as sombras do futuro..." - Siddhartha

Retalhos

4 Comments:

At 7/7/11 17:38, Anonymous Anónimo said...

Ser poeta é sonhar mais alto, é sentir mais além...Para nós que escrevemos é sempre presente.
Escrever poesia é sair de mim e ver para além do horizonte.

Isamar

 
At 8/7/11 08:51, Blogger @zulebranco said...

Olá,
Mais um dia mais um sol um mar,
Umas linhas no papel registo da passsagem,
Sempre calma, e com pressa a de viver a inspirar,
A alegria contagiante de quem sempre de si gosta como dos demais,
é a luta de vida é tua imagem....


Sorriso grande

 
At 10/7/11 21:44, Blogger Serenidade said...

Isabel,

escrever é exalar tudo o que sentimos sem entraves, sem vergonhas, sem pudores!

Bjocas com saudades

 
At 10/7/11 21:48, Blogger Serenidade said...

@zulebranco,

é o ponto em que o azul e o branco se tocam, sem deixarem de serem azul e branco.
é o abraço dado, sentido, sem que haja mistura dos dois corpos num!
é a vida que mostra nua ou ornamentada!
são as palavras de bem-querença que aqui deixas.

Serenos sorrisos

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats