Serenidade

Sensibilidade...

01 junho 2011

Menina risonha



(Foto de Serenidade)






Há momentos em que a poesia fica aprisionada,
dentro do coração, a sete chaves, fechada,
que aperta condicionado pela mente,
disposta a erradicar a serenidade constantemente.
Há momentos em que as palavras são vãs,
os olhares imbuídos de atitudes sãs,
nos gestos descobre-se o sagrado,
no toque subtil, ser amado.
Há momentos em que a escuridão é recordada,
importunando o lado esquerdo aquietado,
aporta sem pedir permissão,
devora a tranquilidade sem razão.
Há momentos em que a poetiza, desnorteia,
nem no seu norte vagueia,
viaja até ao sul,
embate num hediondo paul.
Há momentos de glória,
em que a mente não tem a vitória,
o Ser manifesta toda a sua magnificência,
permite-se expressar a sua essência.
Há momentos em sou criança,
mantenho constantemente esperança
alimento com dedicação os sonhos,
mantenho o rosto risonho.






"Descobri que a busca pode ser tão interessante como o encontro."


Paulo Coelho in Brida


Retalhos

2 Comments:

At 4/6/11 17:32, Blogger IsaMar said...

Somos tudo o que quizermos ser...É a alma de uma criança.
bjs

 
At 6/6/11 14:29, Blogger Serenidade said...

E que todos nós manifestemos a nossa criança interior...

Serenos sorrisos

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats