Serenidade

Sensibilidade...

19 outubro 2007

Incompleto

(Foto de Serenidade)

Areia escorre entre os dedos,
chão que desliza,
perdeu-se o equilíbrio,
balança desnivelou
a dor aportou,
vida existente magoou.
A ânsia de ver o sorriso,
o olhar terno, assustado,
por este mundo habitar
ouvir o choro de dor, louvor,
de aqui seu karma passar,
pós na Terra morar,
à casa do pai rápido chegar.
Luzidia alma não viu a luz
voltou à sua morada,
largou áspera fragrância.
Ai dor, incontida,
corações dilacerados.
O rosto que não se viu,
as histórias que não construiu,
o abraço que não se sentiu.





"Nenhuma morte é uma perda. Todas as mortes transmitem uma mensagem, tanto aos que partem da Terra como aos que nela permanecem."


Neale Donald Walsh

27 Comments:

At 18/10/07 22:39, Blogger @zulebranco said...

cada qual acredita naquilo que quer, por mim acredito em ti na tua sensibilidade revelada nas palavras, o karma pois como a alma e o destino....francamente não sei, a morte é no meu conceito a paragem final de onde ninguém mais volta.....sorriso sereno para ti

 
At 18/10/07 23:16, Blogger Obscuridade Translúcida said...

A dor, o choro e a partilha das emoções ajudam a recuperar o equilibrio e a serenidade de que tanto se necessita...

Estou aqui no meu recanto sempre que necessitares...se nada resultar, já sabes 290 ai vamos nós... (pqn - é para decifrares)

 
At 18/10/07 23:34, Blogger Professorinha said...

A morte não deveria existir... nem para os que partem, nem para os que ficam... pelo menos enquanto nenhum deles se sentir preparado, ou pelo menos antes de tempo...

A morte é algo horrível :(

 
At 19/10/07 10:42, Blogger impulsos said...

Tantas são as coisas
Que ficam por fazer
Por dizer...
Ao cabo de uma vida
Que se foi
Nesta passagem
Tão breve
Tão ilusória
De uma vida
Que fica
Talvez incompleta...
E tanto que havia
Ainda para fazer
Para dizer
Antes de morrer...

Beijinho

 
At 19/10/07 11:07, Blogger Silvia Madureira said...

Tudo o que fica incompleto remete para a tristeza, para o vazio...temos que encarar esta fase com o verdadeiro sentido que encara "Neale Walsh".

beijo

 
At 19/10/07 13:44, Blogger Joseph said...

Carla,
A morte não existe, pelo menos a morte espiritual; sòmente a física.
Se andamos, pouco ou muito tempo, neste mundo, guiando-nos por instintos emanados da alma, tendo dúvidas sobre se o destino é feito por nós ou já está traçado, o que importa é viver com dignidade o tempo que se cá anda, porque do outro lado... o desconhecimento um dia talvez seja esclarecido.
Muita paz para todos, e vivamos com a Fé que nos é dada quando nascemos.
Beijinhos

 
At 19/10/07 15:50, Blogger DE-PROPOSITO said...

Olá.
Quer queiramos, quer não, a vida está sempre incompleta. Nunca atingimos o fim almejado.
Fica bem.
Felicidades.
Um beijinho.
Manuel

 
At 19/10/07 16:05, Blogger Diva said...

Sim. Nenhuma morte e fim... tudo e um (re)comeco. Belo poema.
Bjs meus

 
At 19/10/07 22:27, Blogger Pepe Luigi said...

Qualquer coisa que fique inacabada ou se interrompe cria-nos uma situação de futilidade senão por vezes num vazio de alma e dor. Todavia a vida nunca se esgota e a sua essencia nunca se acaba, o que não quer dizer a mesma coisa que inacabada. É este o sentido que Neale D. Walsh perdente passar-nos.

Beijinhos

 
At 20/10/07 14:45, Blogger * Ju * said...

frase adequada para a minha semana... partiram três pessoas no meu serviço...
sempre "em sintonia" comigo...

beiju enorme com saudades*
espero que esteja tudo bem**

P.S. postei no meu blog como aceder a ele e poder comentar ;)
***

 
At 20/10/07 15:16, Blogger multiolhares said...

E deveríamos de entender essa mensagem e deixar
Os mortos partirem, para entrar em novo aprendizado em outras dimensões, mas estamos condicionados os nossos quereres, vontades
E não os deixamos partir em paz

Beijinhos
luna

 
At 20/10/07 17:43, Blogger Vieira Calado said...

Registei, com agrado, a sua pergunta acerca da reedição do meu livro proibido. Em parte foi reeditado,
em Poemas Primeiros. Mas só parte. Alguns poemas julguei por bem não reeditar, até porque perderam actualidade. Talvez ainda o faça, com outros que ficaram na gaveta.
De todos os modos, sairá brevemente no blog um poema longo, dos que tinham ficado na gaveta, datado de 62 ou 63.
Bom resto de fim de semana

 
At 20/10/07 18:55, Blogger rosa dourada/ondina azul said...

A morte é algo tão natural como a vida.


Beijinho e coragem para este momento,

 
At 20/10/07 19:13, Blogger sveronica said...

Ai, dor incontida
que dilacera
fere
corta
sangra
o olhar assustado
a ânsia de ver o sorriso...

Beijinhos

 
At 21/10/07 08:53, Blogger Papoila said...

A vida que não se viveu...
sempre presente nesta vida a morte.

Triste mas bonito

Beijos
BF

 
At 21/10/07 12:43, Blogger Juℓi Ribeiro said...

Querida amiga:

Versos belíssimos!
Sensíveis e intensos!
Fiquei muda...
Recentemente perdi pessoas
muito queridas.
Venha me fazer uma visita.
Tenho "uns mimos" para você...
Beijo.

 
At 21/10/07 14:58, Blogger Juℓi Ribeiro said...

Amiga:

"Que suas lágrimas sejam abençoadas..."

Obrigada pelo carinho
e por sua generosidade.
Um abraço carinhoso e solidário.

 
At 21/10/07 21:40, Blogger elsa nyny said...

A morte ..principio da vida!
è preciso morrer para viver!

beijinhos

 
At 22/10/07 09:49, Blogger Cátia said...

Ola Serenidade,

A morte... a dor da ausencia, a dor da perda. A ânsia de querer voltar a ver, de querer sentir... Por muito que a morte seja a chegada ao pai, chegada a um estado mais alto, é sempre algo que nos destroi um pouco por dentro.

Beijo terno

 
At 22/10/07 13:55, Blogger Joaquim Amândio Santos said...

abalo
tonto
do ponto onde desfaço
o traço
onde o eu nasce
e cresce
atado
num cordel de vontade.

 
At 22/10/07 17:49, Anonymous Secreta said...

A morte ... do corpo ... da alma ...
Silêncio.
Beijito.

 
At 22/10/07 20:56, Blogger Plum said...

A dor...o desespero...

...não sei falar na morte....não sei...


Abraços!***

 
At 22/10/07 21:03, Blogger Girafa cor de rosa said...

Tão bonito mais uma vez! Que sentires tão profundos! Para mim a morte é apenas uma transformação, mas continua-se a caminhar ...acredito piamente na frase de Neale Donald! A vida e a morte têm a sua lógica, nós é que ainda não conseguimos compreendê-la! Continua a oferecer-nos estas riquezas em palavras! Obrigada.

 
At 22/10/07 21:14, Blogger arealmar said...

O Karma deste mundo deve estar bastante pesado, para vermos as atrocidades que se cometem

beijo

 
At 22/10/07 21:22, Blogger Papoila said...

Serenidade:
Os gr�os de areia que se escoam entre os dedos... os abra�os que ficaram por dar... a morte... a mensagem... o luto... o renascer...
Beijos

 
At 22/10/07 21:37, Blogger * Ju * said...

mas agora há mais uma estrela... e esta vê-se, e está a vê-los também...

beiju grande para os que fizeram a estrelinha...
e beiju enorme pra ti*

 
At 22/10/07 21:42, Blogger SILÊNCIO said...

lindissimo ... mto puro. Adorei ;)

Bjs

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats