Serenidade

Sensibilidade...

25 agosto 2007

Diálogo com Serenidade

(Foto de Serenidade)


Mentiras seguidas de mentiras
Não deixas de Te proferir,
Anseias a verdade acima de tudo
O que fazes é sempre TE ferir!

Não enganes a desnudada Solidão
Que no teu Ser aceitas permanecer
Confiando-lhe vã, estéril, paixão
Teu Ser oprime-se no falso amanhecer.

Repara no Teu Eu em comunhão
No Uno busca o sabor da harmonia
Sentes sem sentir seus afectos
Procuras no exterior o que irradia!

Olha como és o Todo na Unicidade.
O Universo em cada átomo de alegria
A solidão é ilusão dos teus olhos
Mira Teu Eu com firme ousadia.

Confia no que Teu Eu quer para Ti
Não procures no que tua íris imagina
Olha com os olhos d’alma Teu Ser
Ele Ama-te. Tem-lo como companhia.

Solidão é ilusão do teu Ser em evolução
Caminhando com passos assustados
Nada há a recear, além da ignorância,
Do Teu Eu e Tu serem enamorados.





"Se tudo o que nos rodeia fosse suave e fácil,
permaneceríamos inertes,
letárgicos e indiferentes."

Annie Besant

25 Comments:

At 25/8/07 01:39, Blogger Milla Loureiro said...

que belo texto...

=)

 
At 25/8/07 08:49, Blogger Obscuridade Translúcida said...

Muito profundo...

 
At 25/8/07 12:28, Blogger Entre linhas... said...

Muito bonito este poema,tendo como chave um grande pensamento como momento de reflexão.
Bom fim de semana
Bjs Zita

 
At 25/8/07 13:58, Blogger Obscuridade Translúcida said...

Gostei muito, é muito forte e sentido...

A fotografia diz tudo, uma imagem...

Muito, muito bom...

 
At 25/8/07 14:25, Blogger rosa dourada/ondina azul said...

Belo poema, a partir duma verdade !

Bjs.

 
At 25/8/07 14:43, Blogger John Lemmos said...

Ola Carla

Serenidade: "virtude, qualidade de não se exasperar frente aos percalços da vida..." é um lindo poema este post.

Bom fim de semana

**beijo**

 
At 25/8/07 14:45, Blogger João Filipe Ferreira said...

ola carla:)
obrigado pela simpatia:)
bem, o livro consiste numa antologia de 100 poetas, 100 autores.
cada autor participa enviando um texto seu que ocupe uma folha A5:),bem como adquirir pelo menos 1 livrinho (pode adquirir qnts quiser claro).
Tá estimado custar 12 euros. ou seja este valor serve para cobrir por completo o custo de edição do livro:)

fico então a aguardar resposta. envia me para joaoferreira1@gmail.com
beijinhoo

 
At 25/8/07 15:29, Blogger Obscuridade Translúcida said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

 
At 25/8/07 16:17, Blogger lu said...

venho aqui e fico serena de verdade.

beijos.
=**

 
At 25/8/07 23:42, Blogger multiolhares said...

Para desbravarmos o “eu” e procurarmos a tranquilidade dos sentidos por vezes a solidão é imprescindível
beijinhos

 
At 26/8/07 01:46, Blogger Lu@r said...

Belo poema... ler-te cativou o meu olhar.

Beijo doce

 
At 26/8/07 09:41, Blogger vida de vidro said...

Uma bela reflexão em forma de poema. Gostei. **

 
At 26/8/07 16:24, Blogger Fernando said...

Descobri que não existe felicidade extrema na vida de um ser humano se ele não tiver um grande amor.

Já fui "Apenas Palavras" depois "A Minha Louca Paixão" e agora "O Fôlego de um Homem" no entanto os meus amigos, aqueles que se distinguem pela qualidade daquilo que escrevem nunca me serão indiferentes nem deixarei de os ler, pois a tua escrita dá-nos coisas lindas e maravilhosas, gosto dos teus textos e a forma como escreves, dentro do pouco tempo que tenho é um dos cantinhos que eu gosto de visitar.

Boa semana,
Beijo

 
At 26/8/07 18:22, Blogger Obscuridade Translúcida said...

Quem passar nessa escada só conta verdades?

 
At 26/8/07 21:25, Blogger serenidade said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 26/8/07 22:53, Blogger Lívio said...

A tua serenidade é espantosa,
mas sinto um turbilhão de emoções
nas tuas palavras,
não é fácil racionalizar os sentidos,
nem quando nos envolvemos conseguimos racionalizar,
é viver, por vezes analizando o que sentimos, outras sentindo o que não queremos.
É viver. E é bom viver.

Um abraço sereno!

 
At 26/8/07 23:27, Blogger Lívio said...

Obrigado! A lesão foi superficial, já estou bem, com pena minha pois não serei outro Camões...
Sou tripeiro de gema, exilado há 17 anos nesta bela terra algarvia. Quando te vais deixar de cerimónias que me fazes sentir mais velho!

Desejo uma semana serena e feliz!

 
At 27/8/07 00:37, Blogger Alexandre Reis said...

Cheguei, vi e gostei. Muito!

 
At 27/8/07 08:20, Blogger @zulebranco said...

Que bem se escreve por aqui,
que bom recordar, estas palavras quase tocam a fronteira como se a filosofia fosse um poema, na ideia como tudo o que separa ou une. Parabéns, por mais um belo texto, uma observação apenas "as fronteiras em tudo quase sempre são ténues"

 
At 27/8/07 10:21, Blogger MiguelGomes said...

Faz-nos bem...

Fica bem,
Miguel

 
At 27/8/07 16:55, Blogger david santos said...

A imagem funciona como um justicador da existência do texto.
Belo trabalho
Parabéns

 
At 28/8/07 02:11, Blogger impulsos said...

Subi ao altar das emoções
Contemplei o verde salpicado de branco
Percorri os montes da nostalgia

Embrenhei-me nos caminhos que julguei perdidos
E me levaram ao coração de uma outra vida
De um outro tempo...

Reencontrei rostos conhecidos
Sequiosos da mesma água
Que ali nos levou naquela tarde...

Por fim...
... descansei no vale das minhas lembranças
Deste quadro que a memória não esqueceu!

Agora...

... estou aqui de novo e em breve te virei retribuir o carinho e a atenção com que me presenteaste na minha ausência!

ATÉ JÁ...

PS. Verdades que se procuram bem lá no fundo do ser!

Beijo

 
At 28/8/07 09:55, Blogger Lívio said...

Bela relação!
Poderia chamar-lhe "impulsos de serenidade"

 
At 28/8/07 18:41, Blogger Menina do Rio said...

Por mais mentiras que se diga, jamais seria possivel enganar a solidão, pois ela é o retrato da alma... Beijinho

 
At 28/8/07 21:30, Blogger Professorinha said...

A mentira tem pernas curtas... Um mentiros não mantém os amigos por perto muito tempo...

Admiro muito o teu talento para escreveres :)

Beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats