Serenidade

Sensibilidade...

07 agosto 2007

Reencarnando o Medieval


Rio Olo
(Foto de Serenidade)

Fio de sangue brota de fonte oculta
Dilacerada, açoitada na pedra
De fértil nascente pura
Luzente, fado promissor,
Se metamorfoseou!
Brota sangue.
Ferido, intoxicado,
Poluído de verdade(ira)s, ilusões,
Criadas, imaginadas, num Ego pestilento,
Nutridas com o alimento da paixão.
Corre rio sombrio
Num vale onde o Sol é vadio.
Aparece, foge na encruzilhada
Nas voltas da Gaia sofrida
No sentir do rio enegrecido.
Moléculas absorvem Luz
O rosáceo começa a abalar
Na Foz, longínqua, avistada,
A ferida sarará,
O sangue nas artérias correrá,
Rio sadio fluirá.


...Já flúi...



"O mistério não é um muro onde a inteligência esbarra,
mas um oceano onde ela mergulha."
Gustav Thibon

25 Comments:

At 7/8/07 00:49, Anonymous su said...

Da pedra em muitos mitos e textos sagrados nasceram diversas coisas como as palavras, as leis, o alimento e a água sagrados; do inerte corre a vida como se as veias abertas para o mundo não fossem mais do que o seu lamentável mas mesmo assim heróico destino. Destemperar a verdade da ilusão como quem separa o trigo do joio...pelo caminho, no leito do rio, fica a pedra...a alma, essa, chega ao hermético mar...

Beijos em fio aqui da Teia.

 
At 7/8/07 13:20, Blogger Nokinhas said...

Olá!

Mais um belo poema e uma belíssima citação!
Aproveito para deixar uma sugestão... Para visitar a Viagem Medieval que decorre em Santa Maria da Feira de 3 a 13 de Agosto... Não sei se já conheces... mas é realmente algo imperdível...

beijinho grande e boas férias!! :)

 
At 7/8/07 18:42, Blogger littledragonblue said...

O mistério é a própria vida que vivemos, sem ele, nada teria sentido, nada existiria, nada seria o que é.
Um grande beijinho e votos de uma boa semana

 
At 7/8/07 20:08, Blogger Menina do Rio said...

Brota sangue poluido das ilusões criadas pelo ego num vale onde o sol vadia...

Isso é muito lindo!

Beijos

 
At 7/8/07 20:13, Blogger poesiadaspiramides said...

Não é com a inteligência que entramos no insondável, mas com a mente calma, silenciosa
ji

 
At 7/8/07 22:30, Blogger Papoila said...

Serenidade:
P� ante p� espreito os amigos numa pausa de f�rias antes de ma fazer � estrada. O Olo! Bela foto! O poema lindo com sempre... "Todo o abismo � um c�ncavo verde, de perfumes, de sabores de �guas vivas... E esta secura breve que me crispa os l�bios, esta s�bita revolta no meu sangue."
Beijos

 
At 7/8/07 23:52, Blogger SILÊNCIO said...

Lindooooooooooooo

Adorei tudo; palavras, imagens e musica ;)

Bjssss

 
At 8/8/07 11:10, Blogger Artur Moura Queirós said...

Palavras que cortam e fazem fluir emoções.

Este é um dos meus poemas preferidos entre os diferentes que alimentam este blog, sempre acompanhados por belas fotos, nascidas de uma sensibilidade apurada...:)

 
At 8/8/07 19:50, Blogger Ghandy said...

Esse é um bom rio, sem poluição desde a nascente até desaguar no tâmega e no seu percurso molda paisagens impares em beleza e em naturalidade. São muitas ainda paisagens quase virgens em termos de mão humana e logo imaculadas e únicas...
Um bj
Porte-se bem

 
At 8/8/07 21:52, Anonymous Rosa Maria said...

Espectacular este poema...assim como a citação mais abaixo.
Fica um abraço

 
At 8/8/07 23:33, Blogger Twlwyth said...

Um fluir de sentires dolorosos que esperam sarar.

 
At 9/8/07 02:59, Anonymous site sonho said...

Boa NOITE minha doce amiguinha, passei para te dizer que tenho uma brincadeirinha no meu blog para ti, espero que participes

beijinhos de muito carinho e amizade!

sonho

 
At 9/8/07 03:08, Anonymous Site antigo do sonho said...

Olá minha querida amiguinha!

Como prometido aqui estou eu a comentar o teu espaço,tarde é certo,masdevido a minha falta de tempo,só mesmo a esta hora!

Amiga,confesso que adorei o teu cantinho,pois se es tu que escreves(não estou a por alguma duvida)es sem duvida uma pessoa que sabes escrever bem,sabes que os meus blos é relacionado com poesia,dai ficar fascinado com o teu!

Podes ter a certeza que irei ficar teu fã,sempre que me seja possivel vir fazer uma visitinha,não irei faltar amiga!

Espero que tenhas uma boa quinta feira,com muita paz,hormonia,e claro está muito amor!

Beijinhos sonhadores

sonho

 
At 9/8/07 08:56, Blogger Lívio said...

Serenidade! Quanta dor, quantas feridas abertas nesse ser...
Que esse rio fluia com alegria e e sare todas essas chagas. que traga a vida desperta em todo o seu esplendor. Sem dor! Com Serenidade!

 
At 10/8/07 00:33, Blogger DE-PROPOSITO said...

O Rio contorna a pedra, e segue a marcha para diante.
..................
Fica bem.
Felicidades.
Manuel

 
At 10/8/07 02:00, Anonymous su said...

O sonho é o próprio sanhue que corre na minha vida!
;) É de facto a luta que a faz crescer.

Vim deixar beijinhos de umas micro-férias, aqui da Teia.

:)

 
At 10/8/07 10:02, Blogger Desassossego said...

O rio sadio fuirá....
Beijo doce

 
At 10/8/07 11:33, Blogger MiguelGomes said...

O medieval pouco nos ensinou... Mas pelo menos os rios eram mais "sadios".

Fica bem amiga,
Miguel

 
At 10/8/07 14:33, Blogger gata said...

Olá
Descobri-te por acaso, mas....adorei o teu espaço, a tua serenidade.

Voltarei com mais tempo para passear entre as tuas palavras.

Um beijo.

 
At 10/8/07 21:07, Blogger Filipe said...

Por vezes o futuro não nos sorri e temos medo de avançar...
Há que ser como as águas, que enfrentam tudo, sem nunca recuar..

Um bom fim de semana..
Bjs

 
At 11/8/07 02:03, Blogger Chama Violeta said...

Olá "querida amiga"!!! Teu espaço sempre encantador, cheio de paz e luz!
Lindas as tuas fotos, me dão saudades sabia?
Não podería deixar o final de semana chegar, sem te desejar um "maravilhoso" final de semana!
Fica bem, muita paz e luz para ti!
Beijinhos violeta

 
At 11/8/07 02:36, Blogger Chama Violeta said...

Tenho uma surpresa para ti no Chama Violeta,é um presente de amor!
Ah! adorei a música do teu blog, fica bem!

 
At 12/8/07 19:54, Blogger Professorinha said...

Adorei a metáfora... (acho eu que é metáfora, já lá vão uns anos...)

O rio que flui... lindo...

Beijos

 
At 12/8/07 23:21, Blogger O Profeta said...

Errantes fragrâncias, soltas no dia
Tanta paz, tanta verdade incontida
Tanta fé, no caminho da vida
No céu, grito de pássaro de asa ferida


Profético beijo

 
At 21/8/07 20:49, Blogger Ana said...

Que este rio flua em serenidade...

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats