Serenidade

Sensibilidade...

17 abril 2008

As grilhetas que me enroupam...

(Foto de Serenidade)

Porque planeio libertar-me das grilhetas que me enroupam,
das vozes soletradas, entoadas nos murmúrios entristecidos, que se soltam,
das águas estagnadas, no fluir constante, pestilento, do dia chuvoso,
vou voar para além do que meu ser sempre almejou, carinhoso.

Porque as palavras só se conjugam no pergaminho límpido de vozes,
as letras arredias pintam, numa tela, imagens ferozes,
procuro no verbo a sentença de um juízo, sem meu juízo,
agencio um mastro, com sua robustez, na Terra me enraízo.

Porque a companhia que me rodeia é fantasmagórica,
e a parceria aspirada, no momento presente, ilusória,
a alma clama aos quatro elementos a sua revolta,
o lado esquerdo grita tempestuoso pela minha volta.

Porque meus ouvidos não ouvem o grito carinhoso,
e a razão maliciosa impede meus actos atenciosos,
buscas no que estiver ao alcance, o que está em mim,
que deixei de me permitir, na Primavera florir.
Serenidade

"Todos nós nascemos originais e morremos cópias."
Carl J. Jung

14 Comments:

At 17/4/08 14:33, Blogger @zulebranco said...

Tanta tristeza no ar, nessas bonitas palavras que escreves, pelo sentido e pelo espírito....sei que no entanto nunca irás reprimir a tua alma, por isso de novo a primavera em ti há-de fluir. Há sempre um sorriso para ti e bem grande

 
At 17/4/08 16:49, Blogger Isabel José António said...

Querida Mana,

Não deixes que as feridas
Que continuam por purgar
Afectem tuas imagens queridas
Na ânsia louca de querer amar

Todo o Amor do Universo está
Sempre dentro de ti a aguardar
Que o tragas orgulhosa para cá
Para sua essência destapar

Ouve-te! Fala sempre contigo
Quando tudo à tua volta falha
Encontrarás aquele Ser teu amigo
Fogo Real! Nunca fogo de palha

Coragem é preciso. Paciência,
Tolerância e muito discernimento
Porque, é certo, a transcendência
Virá! Naquele precioso momento!

Muitos parabéns querida mana, e que a inspiração nunca te abandone.

UM grande abraço

José António

 
At 17/4/08 20:10, Blogger Angel of Light said...

Onde quer que vás ou o que quer que faças, vai sempre acompanhada pelo teu coração que está coberto de Amor e Luz. Será tudo muito mais fácil para ti!

Passei rápido, só para dizer que não me esqueço de ti.

Beijinhos cheios de Amor, Paz e Luz!

 
At 17/4/08 22:36, Blogger multiolhares said...

A primavera sempre volta a florir, mas há momentos em que a chuva cai
beijinhos

 
At 17/4/08 22:51, Blogger oceanus said...

...deixo-te uma brisa do mar... leve e límpida, para esse teu olhar sereno e cheio de luz...

...é mais fácil com Amor e Luz.

bjs do fundo do Oceanus

 
At 18/4/08 12:50, Blogger rosa dourada/ondina azul said...

Que belas e coloridas imagens cheias de sol, inundem a tua mente :)))


Beijinho azul,

 
At 18/4/08 16:20, Blogger Secreta said...

Um poema belo , mas que no entanto transmite muita tristeza...
Tem um bom fim de semana.
Beijito.

 
At 18/4/08 18:11, Blogger Silvia Madureira said...

Olá:

se for possível passa no meu blog.

obrigada

 
At 19/4/08 10:59, Blogger Um Momento said...

Fiquei sem palavras...mesmo...
Simplesmente este teu poema está...
intenso!

...

(*)

 
At 19/4/08 15:22, Blogger su said...

Estranho...e curioso...ainda hoje na Teia (Ariana) falei da questão das palavras que se repetem e aprendem tornando-se repetições que levam a este conceito de cópia e de imitação...

Nas palavras que ora são limitadas ou ilimitadas, asas que nos libertam ou grilhetas que nos prendem.

Seja como for, que as tuas palavras façam do teu caminho a beleza que deixas pelos teus textos.

 
At 19/4/08 17:05, Blogger Reflexos said...

Vejo que neste poema a tristeza paira no ar, kando estamos presos o nosso dever e liberar dakilo que nos prende por mais fore que seja.

reflexos carinhosos

gostei muito

 
At 19/4/08 18:05, Blogger Joseph said...

Carla
Olá

(Fiz um comentário ao teu poema, mas deu erro. Não sei se ele desapareceu ou se aí está contigo)

A moderação dos comentários faz com que, se houver erro, não possamos já emendá-lo. Paciência!

Sobre o teu poema, gostei muito, porque é um poema muito bem escrito.
Mas...

Tem muitas coisas que o tornam um tanto tristonho.
Vamos à luta, minha querida amiga.
Tens que te libertar do que te prende, seja de que maneira for.

Entristecidos....
Chuvoso...
Ferozes...
Fantasmagórica...
Ilusória...

Tudo a ultrapassar.

"O lado esquerdo grita tempestuoso pela minha volta.
...Porque meus ouvidos não ouvem o grito carinhoso..."

O que eu gosto de te ler.

Beijinhos ternos, querida amiga;)**

 
At 20/4/08 14:42, Blogger gaivota said...

e o mar nas rochas, entoam os nossos gritos ora de fúria ora de carinho,
é a primavera cheia de sol e cheia de chuva
beijinhos

 
At 21/4/08 21:37, Blogger poetaeusou . . . said...

*
grilheta,
couraça do impulso,
escolho,
das floridas primaveras,
,
conchinhas
,
*

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats