Serenidade

Sensibilidade...

27 outubro 2007

Teu / Meu sentir

Fisgas de Ermelo
(Foto de Serenidade)



Aperta a armadura!
Soltaste-la. Deixou de ser tua.
Dói a dor da exposição,
a ilusória solidão.
Ausentaste-te dela,
couraça não é bela.
Flores, doces, tuas,
perdurarão no teu regaço.
São tuas.
Ninguém desfará o enlaço.
Sempre as verás, terás,
com elas compactuas,
compactuarás.
Soltou-se a armadura,
apertou o coração.
Dor que dói, sem se ver, perdura.
Decorre a noite na prisão,
de um antes preenchida solidão.
O agora!

Dor, só, emoção.
No amanhã a ambicionada sã paixão.
Só tu poderás arremessar ao vento,
a égide de ontem.
Seres feliz e livre,
no momento presente,
sentir o vão medo ausente.




"Nem tudo é o que parece. Em cada momento de cada vida há mais possibilidades do que alguma vez poderias ter imaginado."

Neale Donald Walsh


30 Comments:

At 26/10/07 21:44, Blogger Silvia Madureira said...

Muitas pessoas devido a situações dolorosas em campos sentimentais...fecham-se para a vida numa espécie de armadura...é triste. Mas...vamos ver: alguém gosta de sofrer? Se alguém viveu um momento difícil não vai querer voltar a sentir a dor...então acaba por se fechar com medo de que tudo volte a acontecer.

Não somos todos iguais mas ...é muito difícil superar uma dor de amor porque é uma ferida interior que não se vê mas que se sente.

Mas...quando a curámos e conseguimos ser livres, sem armaduras, sem medos...sentimos uma leveza que nem uma borboleta consegue sentir...

Mas...leva o seu tempo...

beijo grande

 
At 26/10/07 22:09, Blogger Paula (Broken) said...

Igual a muitos, diferente de todos!

Para alguns, apenas mais um. Para mim, um verdadeiro "volte face".

Não deixes de espreitar. Fica, se estiveres disposto(a) a colaborar.

http://verdades-ou-consequencias.blogspot.com

Até breve

Paula (Broken)

 
At 26/10/07 23:11, Blogger Joseph said...

Dor que doi, sem se ver, perdura...
Não.
Seres feliz e livre...
Sim.
As flores são tuas.

Gosto muito da poesia.

Beijinhos.

 
At 26/10/07 23:15, Blogger O Profeta said...

Nem tudo o que parece é...nem tudo o que nos dizem quer dizer isso...nem tudo...nem tudo...tanto nada...


Doce beijo

 
At 27/10/07 12:33, Blogger Vieira Calado said...

Obrigado pela sua visita ao meu blog.
Fisgas de Ermelo, aonde fica?
Bom fim de semana

 
At 27/10/07 13:53, Blogger Entre linhas... said...

Existem dores muito difíceis de curar,nem com o tempo,com este apenas tende a desvanecer.
Bom fim de semana amiga
Bjs Zita

 
At 27/10/07 16:08, Blogger sveronica said...

Só tu podes arremessar ao vento a tua armadura; soltar-se e voares livre!
A dor é mera ilusão dos sentidos no momento presente...

Sopo o meu beijo a ti...

Menina do Rio

 
At 27/10/07 17:21, Blogger Obscuridade Translúcida said...

A dor por baixo da armadura doi mais do que a libertada...

Nem sempre é possivel libertar as emoções nos monentos devidos pelo que o seu enclausuramento é custoso e quando libertado é mais doloroso...

O poema tem uma estrutura que é a tua "imagem de marca" o que o torna tão belo

 
At 27/10/07 19:20, Blogger Girafa cor de rosa said...

"Seres feliz e livre,
no momento presente,(...) gostei tanto desta frase! Tem mesmo de ser assim não é? No momento presente...é o único q existe - o agora, o passado já lá foi o futuro ainda não chegou, por isso temos que ser felizes agora, no hoje! Desculpa a ignorância, mas eu não conhecia o Neale Donald Walsh, mas cada vez gosto mais do que ele escreve, tão clarividente!

 
At 27/10/07 23:07, Blogger Professorinha said...

Fisgas de Ermelo?... Serão as mesmas Fisgas que me prometeram fazer conhecer??... Linda linda a foto, como sempre...

Coração que dói precisa de férias... grandes...

Beijos

 
At 28/10/07 14:54, Blogger elsa nyny said...

O medo impede a liberdade,se çançarmos fora o medo os caminhos se abrirão na imemnsasidaõ da liberdade e aí encontraremos um pouco de felicidade!

bjtsss

 
At 28/10/07 20:14, Blogger Betty Branco Martins said...

Querida Carla

___________temos as ferramentas todas________foram-nos "oferecidas". para usar e abusar

"Só tu poderás arremessar ao vento,
a égide de ontem.
Seres feliz e livre"

O que escreveste é lindo e verdadeiro

Beijinhos com carinho
boaSemana

 
At 28/10/07 23:33, Blogger Kapikua said...

Belo texto, linda foto das Fisgas (minha costela transmontana a falar) e adoro o som!

Beijo

 
At 29/10/07 01:08, Blogger mixtu said...

seres feliz e livre...

poesia

lindo Ermelo

abrazo europeo

 
At 29/10/07 08:13, Blogger @zulebranco said...

Felicidade é algo que todos querem,
Alegria e dor, armaduras e farsas,
Quem as não tem.
Sergio Godinho num poema muito bonito perguntava pode alguém ser quem não é? Pode alguém ser livre se outro alguém não é?....

Do parecer ao ser por vezes há distâncias grandes,
Do querer ao ter por vezes nem a distância da vida comporta....

Um sorriso grande, umas vezes por perto outras nem tanto, mas sempre aberto sempre a torcer por ti!

 
At 29/10/07 10:12, Anonymous Secreta said...

Misto de sentires , de emoções.
Permanente tentativa de livrar das coisas más , em busca da felicidade.
Beijito!

 
At 29/10/07 15:02, Blogger Cátia said...

Serenidade,

A foto está extraordinária, parabéns!!

O poema lindo, como todos...

"Seres feliz e livre,
no momento presente,
sentir o vão medo ausente."

Beijinhos

 
At 29/10/07 17:45, Blogger Plum said...

Que paraíso de paisagem!Bela foto!***

 
At 29/10/07 19:20, Blogger saturno said...

Olá!!

Obrigado por partilhar estes doces e serenos poemas acompanhados de magníficas imagens.

Um grande e terno beijo!!

 
At 30/10/07 20:57, Blogger Delfim Peixoto said...

Cada vez mais é um gosto ler-te

 
At 30/10/07 22:07, Blogger Silvia Madureira said...

Tens um convite para ti no meu blogue. beijo

 
At 31/10/07 00:14, Blogger Mago dos sonhos said...

Saudações!
Perfeitas letras. Escrevo muito sobre determinado tema, bem sabes, no meu outro mundo que não este. Eu, não vou fluir contra a maré do que aqui já se dedilhou, pois, se calhar, muitos vestem as mesmas máscaras e agora escondem-se nas mesmas. Por isso, sou humilde ao ponto de admitir que as uso, visto, e por vezes, para quem quero as dispo. Se é por medo, insegurança ou protecção, não sei, mas que másacaras uso, isso é algo que não posso esconder e bem sei, que maligno é viver atrás de um pano, mas espero um dia livrar-me deste vil e utópico fardo. Bem, perdoa-me pela extensão das minhas toscas letras, mas, mais não fui senão sincero para contigo e comigo mesmo.

Mágico Beijo

 
At 31/10/07 09:53, Anonymous Diva said...

Antes mais obrigada pela visita:)Ao entrar aqui tive uma agradável surpresa com a foto do post:)Adoro esse sítio,estive lá no mês passado:)Óptima escolha para representar a serenidade.
Beijokas 1000

 
At 31/10/07 10:04, Anonymous Secreta said...

Olá :)
Vim fazer uma visita e desejar bom feriado e fim de semana.
Deixo um beijito.

 
At 31/10/07 10:24, Blogger Papoila said...

gostei das palavras e das imagens ...lindas

beijinhos
BF

 
At 31/10/07 12:11, Blogger su said...

As pedras atiram-se para longe, a couraça despe-se, os dias acordam de uma maneira diferente de cada vez que despertas...há muito mais para viver...e há muito mais para além das aparências.

 
At 31/10/07 18:05, Blogger * Ju * said...

quando achamos que já acabou, há sempre mais uma coisa à nossa espera... :)

beiju enorme, com saudades**
espero que esteja tudo bem contigo linda*

P.S. Linda foto :)

 
At 31/10/07 18:15, Blogger Artur Moura Queirós said...

Se algum dia existiu uma armadura, sempre deixou passar a serenidade e do�ura que as tuas palavras depositam no nosso aconchego...:)

 
At 31/10/07 18:59, Blogger MiguelGomes said...

Além das palavras, como sempre belas, as tuas fotos estão a ficar, cada vez mais, excelentes :)

 
At 31/10/07 20:48, Blogger SILÊNCIO said...

Vim deixar-te um beijinho ;**

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats