Serenidade

Sensibilidade...

21 novembro 2006

A Vida é uma estrada…


...cheia de curvas perigosas, seguidas por longas rectas, onde andamos sem obstáculos, a toda a velocidade (a possível, de acordo com as regras da sociedade em que vivemos), logo se segue uma curva que é necessário contornar com mais calma. Um semáforo vermelho que nos obriga a parar e nos convida à reflexão. O verde surge no além e vemos o que podemos, queremos e conseguimos ver! Continuamos pelas ruas, ruelas, avenidas ou calçadas mas continuamos, não parámos! Passamos por outra avenida onde somos impedidos de avançar, temos de recuar, não é o caminho correcto, o mais apropriado, tentámos mas… não era esse o caminho! Ora, não é o caminho, temos de recuar mas, ficamos a conhecer esse caminho, agora, é não esquecê-lo e não voltar a tentar esse percurso, já se sabe que não dá, não é o mais apropriado! Há também outras ruelas, que apesar de estreitas, nos convidam a passar por elas e verificamos que até são bonitas e muito agradáveis. As ruas que estão em obras de manutenção podem obrigar-nos a contornar os obstáculos mas, apesar dos obstáculos, chegamos ao destino sãos e salvos… Claro está que as mais agradáveis de circular são as largas, com piso em bom estado, sem obstáculos para contornar, mas… as ruelas e ruas em manutenção também têm de existir!!!

9 Comments:

At 21/11/06 08:28, Blogger @zulebranco said...

Olá bom dia, amiga Carla
Tudo direitinho e certinho, como o padrão social quer, a tua visão está lá sem dúvida nos conceitos e na tua pureza.
Como dizes e bem à caminhos que também podem ser agradáveis, não os mais apropriados.....(quem sabe o que é o mais apropriado).... avida ao longo dos anos na viagem que fazemos reserva-nos surpresas umas más outras boas.....deixa que digam que pensem que falem.....faz o que tu mesmo sentires que deves fazer sente a tua alma, ouve o coração....Um beijo amigo e sereno.
(bonito texto)

 
At 21/11/06 11:04, Blogger rouxinol de Bernardim said...

Os caminhos da vida são díspares... mas há que ter muito cuidado! As ruas da amargura estão à espreita... mas... sejamos positivos e saibamos escolher a estrada larga da tranquilidade e do bom senso!
Parabéns!

 
At 21/11/06 12:35, Blogger Joaquim Amândio Santos said...

Por mais escombros que o caminho ostente, sou sempre eu. nas saudades que tenho do futuro!

 
At 21/11/06 12:38, Blogger lobices said...

…as minhas saudações…
…ao fim de 3 anos de escritos, o meu blogue http://lobices.blogspot.com morreu;
…entendi que havia cumprido a sua “missão”…
…porém, ele deu lugar ao livro “Lobices”, uma compilação de tudo o que foi escrito ao longo destes meus últimos anos de vida…
…a vossa visita ao meu covil será sempre agradável e lá encontrarão o link para a aquisição do livro se esse gosto me quiserem dar…
…a minha (e)terna gratidão pelo vosso apoio e presença ao longo destes tempos…
…o vosso sempre amigo
quim

 
At 21/11/06 12:52, Blogger Miudaaa said...

Adorei!!!
Que texto bestial (linguagem de miudaaa)
Que texto fixe (linguagem de miudaaa_fashion)

Tanta verdade, nas tuas linhas, nas rectas e curvas que percorri com o olhar, uma, duas, tres vezes.

Retirei uma lição... faz-me muito bem relembrá-la:

"Ora, não é o caminho, temos de recuar mas, ficamos a conhecer esse caminho, agora, é não esquecê-lo e não voltar a tentar esse percurso, já se sabe que não dá, não é o mais apropriado!"

Que grande verdade...porque será que insistimos... porque é que mesmo sabendo que não devêmos ir por ali... damos mais uma oportunidade.


"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali (…)

Não, não vou por aí! Só vou por onde
Me levam meus próprios passos (…)

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí (…)

Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!

José Régio - Cântico Negro

Um beijo da miudaaa que te ADORAAA

 
At 21/11/06 19:15, Blogger saturno said...

Bem eu neste momento da minha vida esstou numa ruela um pouco estreita, em obras. Contudo uma estrada bem larga e com bom piso está muito proxima.

Beijinhos!!

 
At 21/11/06 19:24, Blogger MiaHari said...

Olá, serenidade,

Muito bonito este texto e, grande verdade o seu conteúdo...
Adaptemo-lo à vida real se conseguirmos, e tudo será mais fácil de compreender.

beijinho.

 
At 21/11/06 22:15, Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Carla

Excelente texto

Não só pela verdade, mas da forma como "conduzes" as palavras - para esta mensagem!

Parabéns

Beijinhos com carinho
Bom resto de semana

 
At 24/11/06 11:19, Anonymous Anónimo said...

"Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida"
"Viver é como amar: todas as razões são contra, e a força de todos os instintos é a favor"

Fica bem

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home

Free counter and web stats