Serenidade

Sensibilidade...

19 abril 2012

entrego-Te

(Foto de Serenidade)


Não quero mais saber,
entrego-Te o meu querer,
entrego-Te a minha maior vontade,
começo a perder a sanidade!
Não vou mais combater pelo que anseio
entrego nas Tuas mãos este colossal desejo!
Não quero mais sentir a rejeição
acolhido já vezes sem conta, no meu coração.
Há um barco que se avizinha,
vou entrar, no seu ventre me aninhar,
vou pedir que me acolha,
solicitar-lhe que os meus sonhos recolha,
que os leve até ao meu porto de abrigo
que os trate com muito carinho,
que lhes dê ânimo e esperança
que não desistam de se verem concretizados
nesta realidade materializados.





1 Comments:

At 24/4/12 13:45, Blogger @zulebranco said...

A dor por si só destrói-nos, há que realizar o velho ditado que depois da tempestade vem a Bonança, nunca resignar, nunca capitular há que ter força e partir, na tua posa actual embora mui to bem elaborada e sentida transparece de tristeza e solidão, a alegria que havia fugiu…
Muitas vezes temos efectuar rupturas com passados ou presente pois são meios importantes para traçar novos caminhos e procurar novos sonhos.
A razão e a emoção têm que conciliar, a vida é curta e temos que a viver bem, e Tu Amiga, mereces muito mais
Sorriso bem grande para ti

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats