Serenidade

Sensibilidade...

17 julho 2008

Labirintos

(Foto de Serenidade)


Voas entre as sebes labirínticas,
caiadas com lágrimas de puro amor,
surgiu do nada, sempre permanecerá,
no teu lado esquerdo, que queima de dor.

Vagueias de mãos dadas com a vida,
da qual te divorciaste, faz tempo,
preso ao querer dar passos firmes, atrás,
apagar todo o sofrimento e contratempos.

Deambulas, qual mendigo pedindo pão,
o alimento para um doce coração,
encurralado entre o ontem e o amanhã,
entre a mágoa e a feliz sentida, emoção.

Planas lado a lado com o amor,
vigias o ninho, teu, com cuidado,
teus olhos de lince são o reflexo,
do teu meigo Ser, tão magoado.

Lança-te nos braços meus, na quietude,
poisa no meu regaço afectuoso, sereno,
que te abraça, qual aurora boreal amena,
sente o calor do meu plácido amor, imenso.



"O coração sabe ao que dar importância. O coração conhece a glória da vida, a alegria imensa da simples existência. O coração é capaz de celebrar sem fazer perguntas. Por isso a mente pensa que o coração é cego. A mente está cheia de dúvidas, o coração está cheio de confiança - são pólos opostos."
Osho

4 Comments:

At 17/7/08 02:03, OpenID inatingivel said...

"é o coração que anseia pelos afagos".

mas também a mente necessita de repousos.

Só assim se alcança a serenidade de ser.

Bjs

 
At 17/7/08 08:45, Blogger @zulebranco said...

O amor sempre o eterno amor....a vida é mais que isso contudo sem essa essência é como pão sem sal....., no entanto para nosso bem e sobretudo do nosso coação essa máquina que bate e nos faz viver, não podemos abusar do sal.... como tudo na vida... sorriso grande para ti

 
At 17/7/08 22:27, Blogger poetaeusou . . . said...

*
labirintos
os bêcos do amor . . .
,
amadas conchinhas, deixo,
,
*

 
At 17/7/08 22:58, Blogger gaivota said...

eh carla, seja o que fôr...
com um palácio de amor e abraços, olha, seja o que Deus quiser!
beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats