Serenidade

Sensibilidade...

18 julho 2008

Caminhar (in)consciente

(Foto de Serenidade)


O naco de alimento, devora,
insuficiente no saciar da fome,
que de física nada tem,
que a saciedade entretém.
Dói a dor da saciedade,
suportada pelo alimento vil,
dói a dor do arrependimento,
impressão do Ser em farrapos mil.
Actos de um actor inconsciente,
interpretando a senda não desejada,
passos débeis permitidos no não querer,
convertendo-se num Ser mal amado.
Conhecedor da sua inconsciência,
percorre trilhos variados na busca da salvação,
de caminhar de olhos abertos,
consciencioso da sua acção.




"O alimento da alma é o caminhar consciente em todo e qualquer momento."
Carla

5 Comments:

At 18/7/08 13:47, Blogger Fernanda said...

Alma... não se vê...mas sentimo-la!
É a nossa força... a nossa esperança... e leva-nos onde quisermos!

Um bom fim de semana
Bjs

 
At 19/7/08 11:50, Blogger jasmimdomeuquintal said...

Gostei da tua frase; é verdadeira...
bom fim de semana

 
At 20/7/08 14:18, Blogger V.P. said...

"Conhecedor da sua insconsciência"

Gostei especialmente desta ;)

 
At 20/7/08 14:25, Blogger V.P. said...

Mas é a retaguarda que condiciona a nossa futura visão... =)

 
At 20/7/08 21:42, Blogger Carol said...

Gostei particularmente do 13º verso.

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats