Serenidade

Sensibilidade...

19 janeiro 2008

Ilusório caos

(Foto de Serenidade)





Envolta numa corrente mesclada,
energia circundante, devassa, devasta o ânimo.
Ora é luz jovial, anestesiante, apaixonante,
Ora negra, material, deveras arrepiante.
Deambulando aqui e ali,
comédia matizada de ilusões,
teias embriagantes, incompreendidas emoções.
Extravagante é o sentir que invade o ser sem permitir,
a decisão do querer ficar ou simplesmente ir.
Concomitantes fios se enredam na alma,
formam tecido sedoso,
espinhoso no sentir,
macia subtileza na ausência do partir.
Teias confundem-se na amálgama colossal,
um Universo densificado na ilusão floral
do amanhã esperado, controlado,
pela mão divina, orientada,
espera que o corpo tem para si,
um jardim saboroso pessoal,
contíguo com o espinhoso do global.
Fantasia confiar orientação,
no enredo caótico da mente.
Bússola desnorteada,
não gozará o norte esperado.
Campo magnético há que definir,
manípulo transmutado em agulha há-de sorrir.
Ventura ansiada,
ser vivenciada.
O caos da teia dissolvido,
fios convertidos no novelo preferido,
ilusórias energias, conscientes,
mescladas, vivas e patentes,
comédia vivida, assistida,
na ilusória ilusão movida.





"Grandes realizações são possíveis quando se dá importância a pequenos começos."

Lao-tsé


14 Comments:

At 19/1/08 10:21, Blogger Obscuridade Translúcida said...

Vive agora, deixa o passado, não esperes controlar o amanhã...

 
At 19/1/08 12:11, Blogger su said...

O infinito assusta-nos nas suas inúmeras e intensas possibilidades onde não se encontra nem se adivinha o que virá a seguir. Confunde-nos a luz diversa e os caminhos diferentes iluminados...

Belo poema. Lindo mesmo.

Deixei-te um prémio lá na Teia.

Beijos e bom fim-de-semana.

 
At 19/1/08 16:36, Blogger Desambientado said...

O caos das nossas decisões está enredado como linhas de um campo magnético, orientadas é certo, imprecisas, decerto.
A vida talvez seja um perfeito desengano: "ilusórias energias, conscientes, mescladas, vivas e patentes", mas bela, como este poema.

 
At 19/1/08 21:59, Blogger Silvia Madureira said...

Olá

Venho retribuir o teu beijinho.
Antes de mais, parabéns pela imagem captada. Além de escreveres bem também captas lindas imagens.

Na realidade muitas coisas que vão acontecendo e não parecem relevantes para nós...mais tarde são entendidas como pontos cruciais para atingirmos metas.

beijinho

 
At 19/1/08 23:35, Blogger Professorinha said...

Realmente há enormes coisas que começaram pequenas e sem que ninguém lhes dese muita importância...

Beijos

 
At 20/1/08 14:19, Blogger multiolhares said...

São esses pequenos momentos,
Pequenos instantes, que nos adoçam a vida
E fazem pensar no universo.

Beijinhos
Luna

 
At 20/1/08 19:57, Blogger Sandra Daniela said...

Os pequenos momentos, muitas das vezes são os momentos chave das nossas vidas!!!


Passa no meu blog... deixei lá um prémio para ti!!!

Boa Semana!!!

 
At 21/1/08 00:12, Blogger Joseph said...

Carla
Olá

Desculpa andar ligeiramente atrazado nas minhas visitas, mas não é por querer.
Agora já está tudo ok, já tenho um PC novo e já fiz as alterações que desejava.

Amanhã venho comentar, está bem?
Obrigado pelas visitas.

Beijinhos serenos**

(Sabes quem faz anos no dia 17 de Fevereiro? E tu, em que dia e mês é que fazes?)

 
At 21/1/08 08:23, Blogger @zulebranco said...

Bom dia cara amiga, contigo é assim um atrás de outro sempre a conjugar o verbo superar..sempre a elevar o nível a classe e a poesia ganha e muito...Um sorriso grande para ti

 
At 21/1/08 11:07, Blogger José Miguel Gomes said...

A verdadeira bússola não mostra o Norte ou o Sul, aponta para cima ;)

Fica bem,
Miguel

 
At 21/1/08 14:49, Blogger Secreta said...

Ilusões que nos preenchem a vida...
Boa semana.
Beijito.

 
At 21/1/08 18:32, Blogger * Ju * said...

so pra dizer que tas a ficar uma fotografa daquelas... :)
fotos lindas :)

beiju enorme, com saudades*
espero que possas ir ao recital :)

***saudades...

 
At 22/1/08 10:29, Blogger Jorge Cardoso said...

lindo poema! Parabéns!

bússula desnorteada não gozará o norte esperado.
fantástico!!!

 
At 23/1/08 15:29, Blogger Eu...Patrícia C. said...

A teia da existência é uma miscelânea de dor, alegrias, majestosos sentimentos, amor...
Percorremos deambulando na ilusão, na veia da essência. (Patrícia Cruz)
Poderoso o teu poema.
Adorei.
Parabéns!

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats