Serenidade

Sensibilidade...

27 março 2009

Calmo tumulto


(Foto de Serenidade)


Um tumulto de emoções envolve-a
As letras não se unem em palavras
Apenas uns débeis vocábulos translúcidos
Numa pronúncia enaltecida a quem ama.

Formam-se belas locuções
No meio da agitada emoção
Proclamando ao vento
O que lhe vai no coração.

O chilrear voltou a ouvir-se
As palavras parecem escusadas
Por entre o arco-íris evidente
Sente-se o que outrora se falava.

A panóplia fervilhante de sensações
Certas da incerteza do amanhã
Aguarda com a serenidade requerida
O que a vida lhe trará.

Não mais precisa de palavras
Débeis vocábulos inúteis
Mentirosas na pronúncia
A longo prazo fúteis.

Não é vazio o sentimento
Nem a sensação vivida
Preenchida de memórias
Numa atestada vida sentida.


"A vida é o que é! Para quê lutar contra a corrente? Deixar fluir, mesmo que o fluir não seja do nosso agrado, é o segredo da Serenidade." - Carla



4 Comments:

At 28/3/09 21:48, Blogger Liliana said...

Olá.


A aceitação,abranda a dor...


Um abraço grande.

 
At 31/3/09 08:47, Blogger Isabel José António said...

Querida Mana

Aceitar é apenas deixar-se ir. Não diluir-se. Só a Ética nos pode guiar, com amor.

Muitos parabéns pelo belíssimo poema.

Um abraço do coração

José António

 
At 31/3/09 12:27, Blogger Susn said...

Belo poema acompanhado de uma bela fotografia.

Sentir a vida e as palavras.

Beijos

 
At 31/3/09 22:23, Blogger IsaMar said...

Este poema foi sentido...bonito.
Faz brotar as emoções, os sentimentos...
As emoções quando nascem fazem-nos por vezes reavivar memórias, recordações...Uma diversidade de sentimentos, momentos vividos com muita Paixão, amor.E o sentimento, o amor, a alegria que move a vida e nos faz crescer enquanto seres humanos em constante transformação.
beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats