Serenidade

Sensibilidade...

11 setembro 2012

(A)mar

(Foto de Serenidade)

O céu vestiu-se de um rosado envergonhado,
o Sol foi deitar-me com a lembrança
dos nossos olhares, reflectidos, no olhar do outro.
Os vales questionaram a sua existência
perante a união dos nossos corações!
A rugosidade da nossa pele deixou-se alisar
pela ternura imbuída em cada um dos nossos seres.
A vida esboçou um sorriso caprichoso
pelo nosso jeito carinhoso!
As gotas de água salgada evaporaram
no calor da paixão em exaltação.
A todo o instante o céu e a terra tocam-se,
qual vontade de me entrelaçar em ti.
o Sol todos os segundos da sua quente existência beija céu e mar!
Não conseguiria viver na distância,
viver sem te enlaçar!
Vivo preservada nos fluidos do nosso (a)mar,
qual pérola protegida no ser que a resolveu acariciar.


"A energia a que muitos chamam amor é, na verdade, a matéria-prima com a qual o Universo foi construído."
Paulo Coelho
 

1 Comments:

At 9/10/12 21:16, Blogger O Profeta said...

Este pensador, viageiro entre Sois
Esta Ave pousada em mil embarcações
Este barco que passa sem vela ou remo
Esta arca repleta de vibrantes emoções

Esta mestiça flor de açafrão
Este ramo de espinhos cravados na mão
Esta alma que não ousa largar opinião
Este homem vestido de solidão

Ouvi um som profundo e breve
Vindo de uma perdida lembrança
Toquei de leve os trincos da memória
E senti o golpe frio de uma afiada lança

Boa semana


Doce beijo

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats