Serenidade

Sensibilidade...

25 setembro 2009

Gotículas


(Foto de Serenidade)


Afluem gotas de um orvalho fresco e suave
Tocam o rosto com a candura de um cristal
Que no seu toque singular, queima como chama viva.
Incêndio direccionado ao lado esquerdo sentido
De labareda escurecida pelo Sol teima em não sorrir
Pelo luar que teima em não voltar.


"O Sol aparece todos os dias, mesmo por entre as carregadas nuvens."
"Mesmo no mar agitado encontramos a unidade com o Todo."

4 Comments:

At 25/9/09 12:25, Blogger gaivota said...

lindo poema, e verão amntém-se quentinho... o luar, esse foi de férias!
beijinhos

 
At 25/9/09 22:59, Blogger Marcênia said...

Olá, Carla! Muito belo seu poema... Acredito que por trás de um belo poema há sempre uma pessoa de muita sensibilidade. Parabéns!

 
At 25/9/09 23:06, Blogger Marcênia said...

Olá , Carla! A sensibilidade é um dos ingredientes importantes para a construção de belos poemas.Parabéns!

 
At 30/9/09 19:36, Blogger DE-PROPOSITO said...

Pelo luar que teima em não voltar.
----------
Certamente que voltará! Mas, há que saber esperar por ele.
---------
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

 

Enviar um comentário

<< Home

Free counter and web stats